Translate

8 de março de 2018

Dia Internacional da Mulher - Meninas de Odivelas

Exmo. Senhor Presidente da República,
Professor Doutor Marcelo Rebelo de Sousa,

Uma instituição educativa secular foi extinta e destruída porque era o elo mais fraco. A igualdade de género e a economia foram os argumentos do poder político, ou melhor, económico. Num país como a livre Inglaterra - com escolas públicas e privadas masculinas e femininas sem pruridos ou preconceitos - esta situação seria impossível de acontecer. 

Hoje os dois monumentos que o IO cuidava estão vandalizados e a degradar-se. Os valores da Educação e da História foram subjugados. Nos discursos políticos há mesmo dois pesos e duas medidas para o respeito pela História e pelas instituições de prestígio, portuguesas e seculares.

Que bom seria que uma fundação nacional - a da Casa de Bragança - ou internacional - a Aga Khan - fizessem renascer o Instituto de Odivelas (Infante D. Afonso) e o seu excelente Projeto Educativo, sob o Alto Patriocínio de V. Exa. 

Far-se-ia justiça.

Apresento algumas fotografias, e outras enviarei a V. Exa.

Atenciosamente

Com os meus respeitosos cumprimentos,

Margarida Cunha

Fotografia do jornal Expresso
Uma luta inglória

O Forte de Santo António da Barra - imaculadamente cuidado

Claustro do Mosteiro de Odivelas com vida

4 de março de 2018

O abandono do Forte da Barra

O Forte da barro encontra-se ao total abandono. Ver video aqui.

Lixo, ratos e seringas... no IO

Fotografias captadas em fevereiro e dezembro de 2017 mostram como o edifício onde estudavam as meninas de Odivelas está ao abandono. Situado no centro histórico de Odivelas em Zona Especial de Proteção, o monumento nacional aguarda penosamente por novos inquilinos desde que, no final do ano letivo de 2014/15, o Instituto de Odivelas foi obrigado a abandoná-lo para se acomodar nas instalações do Colégio Militar, por decisão do anterior Governo.

A destruição do Mosteiro de Odivelas

Nunca será de mais denunciar a injustiça cometida pelo Estado Português na decisão governamental da coligação PSD/CDS-PP em extinguir, em 2015, o Instituto de Odivelas (IO), escola criada em 1900 e sediada desde então no Mosteiro de Odivelas. Ciclicamente, nos meios de comunicação social são publicadas notícias do vandalismo nos edifícios que o IO tão bem respeitou e preservou: o Mosteiro de Odivelas (século XIII) e no Forte de Santo António da Barra(século XVI). As fotografias são repugnantes, mas a culpa ficará sempre solteira porque as responsabilidades sacodem-se como a água do capote. 

Tinha sido tão simples deixar o IO, com as propostas de reforma razoáveis e viáveis, continuar o seu percurso de excelência. Que desígnios insondáveis fizeram parar uma história de sucesso educativo, ao longo de 115 anos? O IO foi extinto e destruído. Não foi transferido, não foi fundido, não foi reformado. Quem o defendeu na anterior legislatura nada fez para reverter a decisão. Era previsível. O poder político usou o IO como arma de arremesso político ou escudou-se na disciplina de voto para não poder salvar o IO. 

O tempo, esse grande escultor, dirá a quantos e a quem interessou o encerramento da escola Instituto de Odivelas - Infante D. Afonso.

5 de fevereiro de 2018

Forte da Barra vai a tribunal por estar ao abandono

O forte de Santo António da Barra em São João do Estoril, antiga colónia de férias do "Instituto de Odivelas", foi alvo de uma providência cautelar por parte do Fórum do Património. Não necessárias  "medidas urgentes" para travar a degradação deste património histórico.

Ler notícia completa aqui.

28 de janeiro de 2018

Mosteiro de Odivelas em suspenso

Em Janeiro de 2017, o Ministério da Defesa garantiu que o processo de cedência do Mosteiro de Odivelas ao Município de Odivelas estaria resolvido em Fevereiro. Passado um ano continua tudo na mesma...

9 de julho de 2017

CMO vai gerir o IO

Segundo a notícia publicada recentemente no jornal DN o Instituto de Odivelas irá ser gerido pela Câmara Municipal d Odivelas.

Nas várias reuniões de antigas alunas com a ex-Presidente da Câmara Municipal de Odivelas Susana Amador e actual Presidente, estes membros do PS sempre disseram nada saber e ocultaram as suas ambições bacocas. Vão agora ter o merecido resultado. Depois de se terem apropriado dos edifícios contíguos onde são os actuais Paços do Concelho, vão agora destruir o que resta de uma jóia que era dos poucos pontos de interesse da cidade. 
O que não se percebe é como se dá tais utilizações a edifícios classificados..."